domingo





O poeta é patético.
Fala de Amor, do Amor caquético.
Amor extinto, Amor à primeira vista.
Amor sem razão, Amor com emoção.
Amor poético é Amor pra vida inteira,
Amor sem era nem beira.
É Amor pra Amar e não pensar.
É Amor pra se deleitar em prosa todo dia.
Amor pra escutar boa música sem agonia,
Amor de cinema.
Amor de poeta é Amor de poesia,
Aquele Amor de maresia,
De carnaval da Bahia.
Amor de jovem apaixonado,
Amor de casal condecorado,
Amor de mais de 50 anos,
Amor de apenas 5 dias.
É Amor pra não acabar.
É Amor de confortar,
Aquele Amor de cortesia,
Amor de senhoria,
Amor de cavalaria.
Amor de contos encantados,
De sapo que vira príncipe e de fada madrinha.
É Amor de poeta, é Amor de Poesia.

2 comentários:

Maria Lucas disse...

O poeta no fundo só sabe falar de amor...bendito o poeta por isso e benditas todas as formas de amor e de amar. Beijinhos

Mario Pontes disse...

É bem verdade Maria Lucas. Obrigado pela visita e volte sempre! ;)

Postar um comentário

 

Copyright 2010 Descritos a Dedo.

Theme by WordpressCenter.com.
Blogger Template by Beta Templates.