quinta-feira


Já cansei de todo dia
Ser o mesmo dia
De toda hora
Ser a mesma hora
Todo passo
É o mesmo passo
E o que penso
já é passado

Eu não faço
O que faço
Faço o que
Fazem

Não canto minha música
Canto a voz do pop star
Não me vejo no espelho
Vejo o outro mais popular

Não uso mais as roupas
Que usava
Não ouço mais a musica
Que ouvia

Sou o que pensam
Sou o que dizem
Sou o que cantam
Não sou mais eu
Sou mais Eles

Por que isso acontece
Com uma pessoa
Que diz-se assim
Tão amado,
Encantado?
Que sabe tudo
Da constante de avogadro
Que pensa em ser advogado
E não sabe nada de nada
Só sabe que é comandado

Por Outros
Por Eles
Por Aqueles
Por Todos
Por Nada.

A única coisa que me resta
É a Alma
Ainda não sofreu metamorfose
Ainda continua a mesma.
Mas isso por que ela foge quando a hora chega
Ela esbanja coragem
Mas ela tem medo
Medo de mudar
Medo de transformar
Medo Deles
Daqueles
Medo de Todos
do Nada.

4 comentários:

Kristal disse...

Nossa! o.O
Não sei nem o que comentar.
Só que me identifico bastante com o terrível momento em que a gente se descobre fora da gente. - E que por sinal você descreveu com tremenda precisão.

Mario Pontes disse...

Obrigado Kristal, seja bem vinda.
É uma honra tê-la por aqui! BEIJOS

Jeniffer Kellyane disse...

Adoro esse teu jeito diferente de ver o mundo' Totalmente sincero... Acho que é isso o que eu mais gosto em você!

Mario Pontes disse...

Obrigado amore.
Volte sempre por aqui!
Beijos

Postar um comentário

 

Copyright 2010 Descritos a Dedo.

Theme by WordpressCenter.com.
Blogger Template by Beta Templates.