domingo

É nesses dias parados que eu fico a pensar, de como seria bom uma compahia pra me alegrar.
É nesses dias cansados que eu fico a te esperar, te espero sempre aqui, do meu jeito a te amar.
É nesses dias amargos que eu fico a te chamar, te chamo com dengo, querendo me adoçar.
E é nesses dias de domingos dormidos e mordidos que eu te chamo, te amo e te gamo. 
E te espero acordar.

0 comentários:

Postar um comentário

 

Copyright 2010 Descritos a Dedo.

Theme by WordpressCenter.com.
Blogger Template by Beta Templates.