quarta-feira


Na banca de qualquer esquina
Na boca de qualquer menina

Na pasta do medico doutor
No saco do mero senhor

Nos olhos da moça bonita
Nas mãos de dona Florita

Serve de encanador
Serve pra passar a dor

É um homem de garra
Dá amor nas carrada

Pense num homem falado
Pense num cabra malvado

Parece que é tudo no mundo
De pastor a vagabundo

Eu mesmo nem sei  o dizer
As mulher sim lhe dão prazer

Os políticos tudim gosta
É mais um desses homem-bosta

Criança pega, amassa e joga fora
Assim como quem não quer nada, ele só chora

Sua mãe nem mais lhe vê
Ele agora só aparece na TV

É mesmo um cara bem humorado
É mesmo um cara bem desastrado

Desprezado como tal
Seu nome escreve mal

É mais um pra passar fome
É um daqueles sem nome

Homem de um tal astral
É o tal homem-jornal.

1 comentários:

Rayane Oliveira ' disse...

[aaaa] O Homem-jornal, eu amei. *-*

Postar um comentário

 

Copyright 2010 Descritos a Dedo.

Theme by WordpressCenter.com.
Blogger Template by Beta Templates.