domingo


Naquela noite, como em todas as outras, lá estava ele comandando e ordenando todos ao seu redor. Sentindo-se algo de mais importante na vida de todos e todas, tudo gira ao seu tic e rodopia ao seu tac, e nesse tic-tac todos vão se ajustando e se camuflando nas incessantes badaladas de agonia e desespero.
Desde que eu tinha 5 anos, eu sonho com aquela garotinha meiga e dócil, aquela menina me fascinava e ainda me fascina com o seu olhar, um olhar sereno, divino. É de uma beleza impar e de caráter arrebatador. A cada sonho, ela ia ficando mais real. E a cada noite acabada eu queria mais e mais noites, não apenas noites, mas noites com sonhos, aqueles sonhos. Minha vida já não era mais a mesma sem sonhar. Sem sonhar com ela.
Seus olhos brilham assim como o sol, seus negros cabelos com ardente cheiro de luar, sua face com traços aveludados, seu sorriso meigo como o de uma rosa e o que mais me impressiona, o seu olhar misterioso como o universo. Suas características físicas não passam de uma primeira impressão. Há muito mais escondido entre sua pele clara e sua musculatura óssea, há um coração que não para de bater aceleradamente por alguém, não consigo saber por quem, até por que apesar de ser real, ainda era um sonho. Entendê-la por completo ainda era uma coisa impossivel, mas sei que um dia estará ao meu lado. Assim eu desejo.
Sonho por sonho, dia por dia, hora por hora, eu por ela, e o amor não para. Sinto que ela esta bem próxima de mim, mas não consigo saber onde, nem muito menos saber o nome dela.
Não sabendo quando nem como iria conhecê-la, esperava ancioso o dia marcado por um sonho. Um sonho que de tão real, parecia materializar-se cada noite em meus pensamentos. Ela fez  parte de todas a noites de minha vida. Quando acordava sonhando, sonhava acordado por todo o resto de dia, que não teria sentido sem o sonho de amor. Nada me deixava mais feliz do que sonhar, e não apenas sonhar, mas vê-la novamente, sempre.

Desde o dia em que sonhei, ela passou a ser uma realidade invisível em minha vida.  Hoje já tenho 16 anos e ainda assim nunca beijei, recusei as paixões me entregando totalmente a um sonho, que eu tinha quase certeza que iria se realizar.

Continua.

0 comentários:

Postar um comentário

 

Copyright 2010 Descritos a Dedo.

Theme by WordpressCenter.com.
Blogger Template by Beta Templates.